Sabado, 16 de dezembro de 2017 Nossa história      

Notícias

Cultura de Vila Nova encerra nesta segunda –feira (27/11) II Ciclo de palestras sobre a consciência negra

O ciclo de palestras reúne entidades e associações do movimento negro, pesquisadores, estudantes e professores comprometidos com a discussão das políticas de ações afirmativas e a erradicação de toda e qualquer forma de racismo e de preconceito.

Com o objetivo de ampliar os conhecimentos sobre a literatura, a história, a cultura e a realidade das lutas do movimento negro brasileiro, bem como conscientizar a população para a importância desse povo na formação social, histórica e cultural de nosso país,  a  Prefeitura Municipal de Vila Nova do Piauí, que tem como gestor Edilson Brito, através da Secretaria de Cultura, a Biblioteca Patativa do Assaré, Ponto de Cultura Cidade Poesia e Cine Mais Cultura Flor do Sertão, está realizando no município de Vila Nova do Piauí, o segundo ciclo de palestras: História, Cultura Negra e Identidade: um olhar sobre o legado africano.

A ação contou com atividades no dia 13 e 16 de novembro, e para encerrar as atividades em alusão ao mês da consciência negra, acontece nesta segunda –feira, 27/11, a terceira rodada de palestras com os temas: Legislação sobre a história e a cultura Afro-Brasileira- avanços e novos parâmetros de exigibilidade, (Professora e Advogada, Núbia Rocha); Literatura Negra- Conceito em construção, sentido e ramificações, (Professora e Secretária de Cultura de Vila Nova, Marli Veloso); Diversidade Étnica e Identidade, (Professor e Comunicador Social, Rafael Santos). Finalizando o ciclo de palestras com apresentações culturais e certificação. O evento terá início às 18h, no Ponto de Cultura Cidade Poesia.

Primeiro dia do II Ciclo de Palestras – Foto: Ascom Jota Ferreira

O II CICLO DE PALESTRAS

O ciclo de palestras também traz a iniciativa de colaborar e contribuir na aplicação da Lei Federal 10.639/03 e 11.645/08 que alterou a Lei de Diretrizes Básicas da Educação Nacional, tornando obrigatória a inclusão das culturas africanas e afro-brasileiras, e a história do povo indígena na estrutura curricular do Ensino Fundamental e Médio público e privado, bem como também discutir, divulgar e fazer valer o Estatuto de Igualdade Racial aprovado em 16 de junho de 2010.

A celebração relembra a importância de refletir sobre a posição dos negros na sociedade. Afinal, as gerações que sucederam a época de escravidão sofreram e sofrem diversos níveis de preconceito. A data foi estabelecida pelo projeto Lei n.º 10.639, no dia 9 de janeiro de 2003. No entanto, somente em 2011 a lei foi sancionada (Lei 12.519/2011) pela presidente Dilma Rousseff.

20 de Novembro, comemora o Dia da Consciência Negra. Esta data foi escolhida por ter sido o dia da morte do líder negro “Zumbi”, que lutou contra a escravidão no Brasil, e é comemorado em todo o território nacional.

O ciclo de palestras reúne entidades e associações do movimento negro, pesquisadores, estudantes e professores comprometidos com a discussão das políticas de ações afirmativas e a erradicação de toda e qualquer forma de racismo e de preconceito.